Novos Olhares com Radiofármacos Velhos: MIBG e Neurologia

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Susana Valente
Cristiana Queirós
Tiago Freixo
Fátima Branco
Ana Raquel Antunes
Frederik A. A. Jonge
Teresa C. Ferreira

Resumo

Introdução
O síndrome clínico de parkinsonismo caracteriza-se por sintomas motores como bradicinesia, rigidez e tremor de repouso. A doença de Parkinson (DP) é a causa mais frequente de parkinsonismo degenerativo (degenerescência da substância nigra), sendo menos frequentes a Atrofia Múltiplos Sistemas (AMS), Paralisia Supranuclear Progressiva (PSP), degenerescência cortico-basal (DCB) e a demência de Lewy-Bodies.
O diagnóstico diferencial entre estas doenças é fundamental, dado que a terapêutica instituída é distinta.
A Metaiodobenzilguanidina (MIBG) é um análogo da noradrenalina e a cintigrafia com 123-I- MIBG visualiza a função e integridade neuronal do sistema adrenérgico simpático pós-ganglionar de forma não invasiva a nível cardíaco.
A captação cardíaca de 123-I-MIBG está comprometida na DP, enquanto nos outros síndromes está preservada. Esta diferença deve-se a envolvimento mais acentuado de neurónios autónomos pós ganglionares na DP. A cintigrafia com 123-I-MIBG oferece, portanto, um método para distinguir DP de AMS, PSP e CBD (e no caso de demência de Lewy bodies fazer a distinção com Doença de Alzheimer).

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
1.
Valente S, Queirós C, Freixo T, Branco F, Antunes A, Jonge F, Ferreira T. Novos Olhares com Radiofármacos Velhos: MIBG e Neurologia. LSJ [Internet]. 28 de Setembro de 2020 [citado 27 de Novembro de 2020];1(2). Disponível em: http://lusiadasscientificjournal.pt/index.php/lsj/article/view/16
Secção
Poster Científico